Atividade Física



Musculação combate gordura no fígado

Pesquisa da Unicamp comprovou a eficácia da prática no tratamento da doença.


Musculação combate gordura no fígado

Está com gordura no fígado? Pratique musculação. Uma pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) demonstrou que a atividade realizada nos aparelhos não só ajuda a reduzir a gordura nesse órgão, como também a manter o controle da glicemia em quem está obeso ou sofre de diabete em curto espaço de tempo.

Pesquisadores do Laboratório de Biologia Molecular do Exercício (LaBMEx) da universidade submeteram camundongos a um treino moderado durante 15 dias e constataram uma mudança na expressão genica no tecido hepático, auxiliando no tratamento de doenças hepáticas gordurosas não alcoólicas e a queima de lipídios armazenados. Três grupos de cobaias foram utilizados no experimento. O grupo do controle recebeu ração padrão (com 4% de gordura), se mantendo magro e sedentário. Um segundo grupo recebeu alimentação hiperlipídica (com 35% de gordura) no período de 14 semanas, tempo suficiente para se tornarem obesos e diabéticos. O terceiro grupo foi submetido a mesma dieta, mas quando se tornaram obesos e diabéticos, passaram a realizar exercícios de força moderado por 15 dias. Os camundongos subiam uma escada com uma carga presa a cauda.

Foi 20 séries por dia, com intervalo de 90 segundos entre elas. Ao final da experiência, os pesquisadores constataram que os camundongos que foram treinados ainda estavam obesos, mas com valores normais de glicemia em jejum. Os obesos sedentários continuaram diabéticos. O grupo treinado apresentou redução de gordura no fígado de 25% a 30% comparados aos obesos sedentários. Embora o índice de gordura no fígado nas cobaias treinadas ainda se apresentava 150% maior do que o grupo de controle.

O próximo passo do estudo será tentar descobrir como se dá a comunicação entre músculos e fígado, como objetivo de desenvolver fármacos para auxiliar o tratamento. A gordura no fígado inflama o órgão, tornando as células hepáticas menos sensíveis à ação da insulina. A inflamação pode evoluir para uma cirrose e causar a falência do fígado.




Clique aqui e veja todas as matérias

Veja Mais...








Clique aqui e veja todas as matérias

Confira também nossos guias


Ícone
Ícone
Ícone
Ícone
Ícone
Ícone