Estilo de Vida - Dicas


Glúten: Será um vilão? Confira aqui toda a verdade sobre esse alimento…


Já faz um tempo que o glúten vem sendo “crucificado” como responsável por todos os males (obesidade, intolerância à glicose, depressão, alergias e outros). Como houve relatos de diversos profissionais – médicos, nutricionistas e nutrólogos, posicionando-se favoravelmente à abolição do uso de pães e massas em geral visando o fim desses males e o emagrecimento sobre tudo, registro aqui algumas observações que considero importante.

Que as pessoas consomem pães, massas e biscoitos em quantidades excessivas é fato. O ganho de peso é obtido fundamentalmente pelo consumo excessivo de energia e especialmente proveniente das gorduras e carboidratos refinados. Quando mudamos radicalmente o hábito alimentar, como por exemplo, cortamos totalmente aquilo que comemos em excesso (pães, massas, biscoitos) e lembrando que estes alimentos geralmente carregam quantidade significativa de gordura (molhos, recheios, manteiga) e colocamos no lugar frutas e verduras, passamos a consumir menor quantidade de calorias e as conseqüências mais diretas são a melhoria da digestão, sensação de leveza após a refeição e o emagrecimento.

Que pães, massas e biscoitos são fermentativos também é fato, por isso geralmente provocam gases, especialmente nas pessoas que são sedentárias e têm a parede abdominal fraca, comem pouca fibra, bebem pouca água e sofrem de constipação intestinal (prisão de ventre).

Se a preocupação é com a saúde e o bem-estar a primeira questão é não vilanizar os alimentos, afinal, cada um deles é apenas o veículo de um ou mais nutrientes. O glúten é a proteína que predomina nos alimentos derivados do trigo, aveia, centeio e cevada e somente os portadores de Doença Celíaca é que devem bani-los da dieta, já que não possuem a enzima que faz sua digestão. Para estas pessoas, o consumo de glúten traz uma série de transtornos já que a absorção de outros nutrientes também acaba sendo prejudicada. Neste sentido é muito importante destacar as conquistas que os celíacos vêm obtendo, pois atualmente, além das novas variedades de substitutos dos pães e massas, os alimentos embalados, obrigatoriamente têm que destacar se o produto contém ou não glúten, coisa que há pouquíssimo tempo atrás não acontecia e que mesmo hoje estando em vigor, a grande maioria das pessoas não sabe o que é (só sabe o que é Glúten quem tem doença celíaca!).

Com o crescimento do diagnóstico (que ainda é muito pequeno), as estatísticas de celíacos no país vêm aumentando, mas muito trabalho ainda deve ser feito. Indivíduos normais processam o glúten sem qualquer problema. Portanto o ideal é seguir os preceitos básicos de uma alimentação equilibrada: comer em intervalos regulares de 3h, beber água nestes intervalos, dar preferência aos cereais integrais, grãos, vegetais e frutas. Preferir carnes brancas (especialmente peixes), leite desnatado, produtos lácteos livres de gorduras, evitar quantidades excessivas de sal e açúcar. Mesmo comendo alimentos saudáveis, jamais esquecer de comer com parcimônia, evitando as grandes porções.

Se este indivíduo normal apresenta algum desconforto gástrico (aumento dos gases, má digestão, azia, mal-estar, diarréia) após o consumo de algum alimento, ele pode fazer teste de exclusão temporário do(s) alimento(s) em questão, ou submeter-se ao teste de intolerância.

Depois desta matéria, me vejo surpreendida por colegas de trabalho querendo ajuda para fazer a dieta do Glúten. Aí penso: assim nasce mais um tipo de dieta para juntar-se às tantas outras, tão poderosas com suas propostas de cura e vida longa. Penso também: coitados dos Italianos, que depois de verem a queda do Império Romano pela peste e pelas guerras, poderão ter sua população dizimada pelo consumo de um simples cereal – o trigo.

De acordo com a ACELBRA (Associação de Celíacos do Brasil), para o diagnóstico de Doença Celíaca é absolutamente necessária a realização de biópsia do intestino delgado, não existindo motivos que justifiquem iniciar uma dieta sem glúten, sem ter realizado a biópsia, pois só esta é uma análise realmente conclusiva.

Portanto, deixo aqui meu registro de que nada melhor que olharmos para nossa alimentação com muito cuidado e não deixarmos nos seduzir por tantas hipóteses, que até podem trazer alguns benefícios, mas que podem transformar o dia a dia num verdadeiro martírio. A nutrição é simbolizada por uma balança que representa o equilíbrio. Assim se comermos alimentos de boa qualidade, em quantidades adequadas e nas devidas proporções o resto é conseqüência. Saúde a todos!

Maria Lucia Bastos


Veja Mais...