Estilo de Vida


14 de novembro: Dia Mundial do Diabetes

Quem é diabético e pretende adotar um plano alimentar saudável, deve seguir algumas recomendações e adotar uma dieta com alimentos ricos em fibras.


14 de novembro: Dia Mundial do Diabetes

A orientação nutricional e o estabelecimento de um plano alimentar para o controle dos indivíduos portadores de Diabetes Mellitus, associados a mudanças no estilo de vida, incluindo atividade física regular, são consideradas terapia de primeira escolha.

 

Veja também:

Dia Mundial do Diabetes chama a atenção para essa doença silenciosa….

Diabetes: é possível evitar!

Farinha de maracujá contra o diabetes

 

“Nos últimos anos, diversos produtos foram elaborados para tornar a vida dos diabéticos mais agradável e saborosa. Além disso, muitos tabus e determinações que o faziam ter que seguir uma alimentação extremamente restritiva, desapareceram. Atualmente sabe-se que esses indivíduos devem ter uma alimentação saudável com pouquíssimas restrições ou proibições”, explica a nutricionista Rosana Perim, gerente de nutrição assistencial do HCor.

Quem é diabético e pretende adotar um plano alimentar saudável, deve seguir algumas recomendações e adotar uma dieta com alimentos ricos em fibras, proteínas e gorduras boas, como:

Grãos integrais: farinha de trigo, arroz e macarrão integrais, aveia, pães e biscoitos integrais.

Leguminosas: feijões, soja, grão-de-bico, lentilha, ervilha.

Legumes em geral: exceto batata, batata doce, macaxeira ou mandioca e inhame, pois têm elevada concentração de carboidratos e devem ser consumidos em pequenas porções.

Carnes magras, aves e peixes em geral: exceto carnes processadas, como presunto, peito de peru, salsicha, linguiça, bacon, mortadela e salame.

Gorduras boas: óleos vegetais (soja, milho, girassol, canola), azeite de oliva, abacate.

Oleaginosas: castanhas, amendoim, avelãs, nozes e amêndoas.

Leite e derivados: devendo-se ter atenção para escolher iogurtes sem adição de açúcar.

“Vale lembrar que os tubérculos, como batata inglesa, batata doce, macaxeira e inhame são alimentos saudáveis, mas que por serem ricos em carboidratos, também devem ser consumidos em pequenas quantidades”, orienta Rosana Perim.

As frutas, por terem seu açúcar natural, chamado de frutose, devem ser consumidas em pequenas quantidades pelos diabéticos. A recomendação é de uma porção de fruta por vez:

1 unidade média de frutas inteiras, como maçã, banana, laranja, tangerina e pera

2 fatias finas de frutas grandes, como melancia, melão, mamão e abacaxi

1 mão cheia de frutas pequenas, dando cerca de 8 unidades de uvas ou cerejas

1 colher de sopa de frutas secas, como uva passa, ameixa e damasco.

Além disso, é importante evitar o consumo de frutas juntamente com outros alimentos ricos em carboidratos, como tapioca, arroz branco, pão e doces.

Os alimentos “proibidos” são aqueles ricos em açúcar ou carboidratos simples, como:

Açúcar e doces em geral.

Mel, geleia de frutas adoçadas, compotas com açúcar.

Farinha branca: produtos de confeitaria e pastelaria.

Doces em geral, chocolates e guloseimas.

Bebidas açucaradas, como refrigerantes, sucos industrializados, achocolatados.

“É importante que o diabético aprenda a ler os rótulos dos produtos antes de consumir, pois o açúcar pode aparecer escondido sob a forma de glicose, xarope de glicose ou de milho, frutose, maltose, maltodextrina ou açúcar invertido”, alerta a nutricionista.

Diet x Light

A definição de alimento light deve ser direcionada aos produtos que apresentam redução mínima de 25% em determinado nutriente ou calorias, quando comparado com alimento convencional. Diet significa que o alimento tem ausência total de um nutriente. Portanto, a primeira diferença entre alimento diet e light está na quantidade permitida de nutriente.

Enquanto o diet precisa ser isento, o light deve apresentar uma redução mínima de 25% de nutrientes ou calorias em relação ao alimento convencional. A segunda diferença, é que o alimento light não é, necessariamente, indicado para indivíduos que apresentem algum tipo de doença (diabetes, colesterol elevado, doença celíaca, fenilcetonúria).

“No caso dos indivíduos diabéticos o termo correto é o diet, por ter ausência total de açúcar. Antes de comprar algum alimento light é importante verificar os ingredientes descritos no rótulo se na composição tem açúcar ou não”, orienta Rosana.

Recomendações complementares:

Alimente-se a cada quatro horas para evitar picos de hipo e hiperglicemia

Tenha sempre disponíveis alimentos práticos para os intervalos das refeições como frutas, barra de cereais light ou biscoitos salgados com fibras

Leia os rótulos com atenção. Não confie apenas na denominação diet ou light. Observe atentamente a composição nutricional do produto, identificando a quantidade de cada nutriente (gordura, carboidratos, proteínas, vitaminas e minerais).

Procure manter o peso dentro da faixa de normalidade

Meça regularmente a glicose sanguínea.

Assessoria de Imprensa do HCor

Rita Nogueira – rita@targetsp.com.br
Target Estratégia em Comunicação




Clique aqui e veja todas as matérias

Veja Mais...








Clique aqui e veja todas as matérias