Estilo de Vida


Medicina do Estilo de Vida: Especialidade médica visa prevenção e tratamento de doenças

Ganhando cada vez mais espaço, Medicina do Estilo de Vida estimula o paciente a mudar seus hábitos para conquistar uma vida mais saudável.


Medicina do Estilo de Vida: Especialidade médica visa prevenção e tratamento de doenças

Nosso estilo de vida possui grande impacto sobre nossa saúde. Não à toa as doenças decorrentes do estilo de vida, como obesidade, diabetes, hipertensão e até câncer, figuram entre as principais causas de morte em todo mundo.

 

Veja Também:

Estilo de vida pode afetar equilíbrio dos microrganismos que habitam a pele

Por que escolher a natação como atividade física?

Como nossos hábitos de vida interferem em nossa saúde?

 

Por esse motivo, foi fundado em 2004 nos Estados Unidos o American College of Lifestyle Medicine que trouxe para o mundo uma nova forma de se enxergar o paciente e de se abordar a prevenção e o tratamento de doenças: a Medicina do Estilo de Vida. “Já considerada uma especialização médica nos Estados Unidos e sendo aos poucos incorporada na medicina brasileira, visto que em junho de 2018 foi fundado o Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida, a Medicina do Estilo de Vida tem como finalidade cuidar do paciente de forma global, mudar os hábitos desse paciente para assim prevenir e tratar doenças. A Medicina do Estilo de Vida é uma maneira de fornecer ao paciente ferramentas para a mudança de seus hábitos”, explica a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery).

De acordo com a angiologista Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, a Medicina do Estilo de Vida é baseada em seis pilares — alimentação, controle do stress, prática de atividade física, cessação do tabagismo, qualidade de sono e relações interpessoais — e é destinada a todas as faixas etárias. “Já é cientificamente comprovado que até mesmo octogenários podem se beneficiar de mudanças no estilo de vida. A incidência do Alzheimer, por exemplo, é diminuída em 54% com a prática de atividades físicas três vezes por semana durante 30 minutos, independentemente da idade do paciente”, destaca a angiologista. “E o melhor é que a Medicina do Estilo de Vida não atua apenas na prevenção das doenças, mas também no tratamento. Sabe-se que com mudanças de estilo de vida é possível não apenas prevenir, mas também reverter grande parte das doenças.”

Outra vantagem da Medicina do Estilo de Vida está no fato de ser uma especialidade multidisciplinar, ou seja, destinada a todas as especialidades médicas e outros profissionais da saúde, incluindo nutricionistas, fisioterapeutas e enfermeiros. Isso por que a Medicina do Estilo de Vida visa capacitar profissionais para diagnosticar a auxiliar os pacientes a modificarem seus hábitos de uma forma global e não apenas para tratar um sintoma de alguma doença. “No ramo da cirurgia plástica, por exemplo, a Medicina do Estilo de Vida proporcionou protocolos e rotinas que fazem a mudança de hábitos mais efetivas. Um exemplo é quando um paciente com sobrepeso chega ao consultório procurando por uma lipoaspiração. Ao invés de apenas realizarmos o procedimento, recomendamos a mudança de hábitos, com a adoção de uma alimentação saudável e prática regular de exercícios.

É fundamental que o paciente tenha consciência da importância de sua saúde para o futuro”, afirma a cirurgiã.

E não é preciso esperar a consulta com o médico para começar a mudar seus hábitos. Confira abaixo as dicas das especialistas para adquirir um estilo de vida mais saudável:

– Alimente-se corretamente: Dietas restritivas são difíceis de manter por muito tempo. Por isso, preocupe-se mais com o que você coloca no prato do que com o que retira dele. “Adote uma alimentação de base vegetal, diminuindo o consumo de proteína animal e produtos industrializados. Vegetais devem compor 75% do prato. A comida deve ser boa, gostosa e feita com ingredientes saudáveis”, recomenda a Dra. Aline.

– Pare de fumar: De acordo com a Dra. Beatriz, além de 80% dos cânceres de pulmão ocorrerem em fumantes, o tabagismo também está associado a uma série de outros problemas, incluindo o envelhecimento precoce da pele e o tromboembolismo. Por isso, o ideal é deixar o cigarro de lado.

– Gerencie o estresse: “Medite, limpe sua mente. A cada hora trabalho pare cinco minutos para respirar, tomar um café, olhar pela janela ou simplesmente fechar os olhos. Uma vez por semana procure sair da rotina e fazer uma atividade diferente. Um tempo de descanso é extremamente importante para manejar o estresse”, destaca a angiologista.

– Durma bem: “A quantidade de horas de sono necessárias é individual. De modo geral, o ideal é que se tenha 7 horas diárias de sono. Mas fique atento a sua disposição durante o dia. Se mesmo após 7 horas os sintomas forem de cansaço e sonolência pode ser que a qualidade do sono esteja ruim. Além disso, evite equipamentos eletrônicos uma hora antes de dormir, pois a luz azul emitida por esses aparelhos interfere na qualidade do sono”, alerta a cirurgiã.

– Socialize: De acordo com a Dra. Aline Lamaita, existe uma extensa literatura médica comprovando que relações interpessoais possuem grande influência sobre a saúde e a felicidade do paciente. “Ou seja, mantenha por perto as pessoas que você gosta. Converse, chame para um café, saia para jantar. E nesse momento não vale amizade virtual, pois nada substitui o olho no olho”, afirma.

– Pratique exercícios: É comprovado que exercícios físicos podem prevenir uma infinidade de doenças e até reverter casos de diabetes tipo II, hipertensão e depressão. “O ideal então é realizar semanalmente 150 minutos de exercícios físicos de intensidade moderada. Mas qualquer atividade já pode trazer benefícios, como aumentar o número de passos por dia e subir escadas”, explica a Dra. Beatriz Lassance.

Por: Dra. Aline Lamaita

 




Clique aqui e veja todas as matérias

Veja Mais...








Clique aqui e veja todas as matérias